Brasil registra mais 511 mortes por covid-19 em 1 dia; total vai a 171.971

0

Em 24 horas foram 33.873 casos

O Brasil registrou pelo menos 171.971 mortes pelo novo coronavírus até às 18h desta 6ª feira (27.nov.2020). São 511 vítimas a mais que no dia anterior.

O país também confirmou mais 33.873 casos no período, totalizando 6.238.093. Os dados são do Ministério da Saúde. Nesta 6ª, a pasta não informou números atualizados de Amapá, Goiás e Rondônia.

Cerca de 5,5 milhões de pessoas se recuperaram da doença e outras 529,8 mil permanecem em acompanhamento.

MORTES POR COVID-19

Apenas os Estados Unidos têm mais vítimas que o Brasil –mais de 270 mil até a publicação desta reportagem.

O número de mortos no Brasil também é elevado na comparação proporcional. São 812 mortes por milhão de habitantes –segundo cruzamento de dados do Ministério da Saúde com a última estimativa populacional divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A taxa coloca o Brasil na 8ª posição do ranking mundial. A Bélgica é o país onde a covid-19 mais mata em relação ao número de habitantes. São x mortes por milhão de habitantes.

MÉDIA DE CASOS E MORTES

Os 2 gráficos a seguir mostram o número de mortes e de novos casos diários, mas também a média móvel dos últimos 7 dias. A curva matiza eventuais variações abruptas, sobretudo porque nos fins de semana há sempre menos casos relatados.

CASOS E MORTES POR REGIÃO

O Sudeste concentrou47% do total de mortes confirmadas nesta 6ª feira.

Apenas Centro-Oeste e Norte confirmaram menos de 9.000 casos nesta 6ª feira (27.nov).

SEM ISOLAMENTO

De acordo com o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, não serão necessárias novas medidas de isolamento social.

Ele afirmou que as restrições serviram para o sistema de saúde se preparar para receber a demanda extra que seria gerada pela pandemia. E acrescentou: “Essa adequação já foi feita. Não há porque de se falar novamente em medidas de distanciamento social, de isolamento. Não é o caso”.

As internações por covid-19 cresceram mais de 20% em São Paulo em 1 semana. As hospitalizações também cresceram nos hospitais privados.

A declaração do secretário foi em entrevista coletiva do Ministério da Saúde nesta 6ª feira. 

Élcio Franco também declarou que nenhuma vacina deve ter o registro homologado até, no mínimo, fevereiro do ano que vem:

“A Anvisa precisará de pelo menos 60 dias para efetivar esse registro [depois de protocolado o pedido], sendo cumpridos todos os passos da submissão contínua. Então se alguém pedir na 2ª-feira (30.nov) esse registro, provavelmente, essa vacina estará com o registro confirmado pela Anvisa em fevereiro. Ou 1 pouco depois”. Fonte: Poder 360

Campartilhe.

Comentários desativados.